Estado finaliza uma das cinco maiores colheitas de trigo em volume

A colheita do trigo no Rio Grande do Sul está praticamente concluída, restando algumas áreas na região serrana. A área com o cereal nesta safra chegou a 757.320 hectares. A produtividade média de 2.955 quilos por hectare projeta produção de 2,2 milhões de toneladas, consolidando-se entre as cinco maiores safras da história da produção gaúcha em volume produzido.

De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado pela Emater/RS-Ascar – conveniada à Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) – na quinta-feira (28/11), na regional de Ijuí, houve diminuição da área implantada com trigo em relação ao estimado inicialmente, reduzindo para pouco mais de 219 mil hectares, 29% do total do Estado.

A produtividade alcançada, próxima de 51 sacas por hectare, também está um pouco abaixo da esperada inicialmente e a qualidade do produto colhido foi prejudicada pelas chuvas em excesso na fase de maturação. A maior parte do trigo obteve PH entre 74 e 78, impactando na redução do preço final da cultura.

A colheita da cevada também está em fase final no RS, restando 2% por colher nas regiões administrativas da Emater/RS-Ascar de Bagé, Pelotas e Santa Maria. Atualmente, 100% das lavouras estão em maturação, e os produtores gaúchos aguardam o ponto ideal de colheita dos grãos. A produtividade média alcançada nas últimas áreas colhidas foi de 2.200 quilos de cevada por hectare.

CULTURAS DE VERÃO

Soja: o plantio foi intensificado e atinge 72% da intenção de plantio de 5.978.967 hectares para a safra do RS. Das áreas das lavouras, 100% se encontram em germinação e desenvolvimento vegetativo. Na regional da Emater/RS-Ascar de Ijuí, o plantio da soja chegou em 85%, favorecido pelo predomínio de sol, altas temperaturas e ocorrência de chuvas de baixos volumes e em pequenas extensões nas principais regiões produtoras do Estado. As lavouras plantadas apresentam boa germinação, bom estande de plantas e bom aspecto geral. Entretanto, produtores estão preocupados com as altas temperaturas, o que pode provocar o tombamento das plântulas novas, tendo em vista que a grande maioria está na fase inicial de desenvolvimento vegetativo. As lavouras implantadas mais cedo apresentam-se com bom aspecto.

Milho: a semeadura chega a 86% da área estimada para esta safra, que é de 771.578 hectares. O tempo firme possibilitou condições de umidade adequadas para o manejo de preparo do solo, plantio e também para a germinação das sementes. Das lavouras, 58% estão em desenvolvimento vegetativo, 22% em floração e 20% em enchimento dos grãos. Na regional da Emater/RS-Ascar de Caxias do Sul, a semeadura de milho ainda está sendo realizada em pequenas áreas e se estenderá até início de janeiro. As áreas mais expressivas de milho na região já estão plantadas. Das lavouras, 96% se encontram na fase de desenvolvimento vegetativo e 4% em florescimento. No geral, apresentam plantas bem nutridas e sadias.

Arroz: o plantio da cultura alcançou no período 84% da área de 944.549 hectares prevista para o Estado. O tempo favorável permitiu aos produtores avanços em todas as regiões. As lavouras estão 100% na fase de desenvolvimento vegetativo.

Feijão 1ª safra: a implantação da cultura no RS alcançou 88%, e 49% das lavouras estão na fase de desenvolvimento vegetativo, 21% em floração, 21% em enchimento de grãos e 9% estão em maturação. Na regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, as lavouras têm se mantido com bom estande. Os produtores dão continuidade aos tratos culturais de controle de invasoras e de adubação de cobertura (aplicação de nitrogênio).

Texto: Adriane Bertoglio Rodrigues/Ascom Emater/RS-Ascar
Edição: Secom

Fonte: Portal do Estado do Rio Grande do Sul

Publicidade