SMEC reuniu profissionais da educação para tratar sobre autismo

0
147
views

O Governo Municipal por meio da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC) reuniu na noite da quinta-feira (05/04/18), Diretores, Coordenadores, Professores e Monitores da Rede Municipal, Estadual e Particular de Ensino, momento em que foram abordadas questões referente a um dos maiores distúrbios que atinge crianças na atualidade, o Autismo.

Os profissionais da Educação assistiram a documentários com relatos de experiência sobre Autismo e também a um exemplo de inclusão junto a uma escola municipal.

Conforme observou a Secretária de Educação e Cultura Denise Weber, o dia 2 de abril é considerado o Dial Mundial da Conscientização do Autismo e  esse encontro foi de fundamental importância para ampliar um horizonte de conhecimentos sobre o tema, sendo que atualmente uma em cada 68 crianças é diagnosticada com autismo, conforme levantamento divulgado pela ONU, que classificou o distúrbio como uma questão de saúde pública mundial.

O encontro teve a presença da Direção e Equipe Técnica da APAE, a qual contribuiu com seu conhecimento sobre o assunto, abordando estudos e práticas realizadas para contornar o transtorno que até o momento não possui cura e suas causas ainda são incertas, porém, através de um trabalho cooperativo entre escola, família e instituições especializadas, a criança apresentará bons resultados, nas diferentes áreas do conhecimento.

Atualmente o Autismo é considerado um grande desafio no contexto escolar e social, sendo necessário um olhar para as possibilidades de desenvolvimento das potencialidades do indivíduo.

Segundo Cíntia Leão Silva, faz-se necessário ensinar de várias maneiras, para a criança ser capaz de aprender.

Também nesta oportunidade deu-se abertura ao PNAIC (Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa) que abrangerá a partir deste ano além dos Anos Iniciais à Educação Infantil.

 

ele pode ser trabalhado, reabilitado, modificado e tratado para que, assim, o paciente possa se adequar ao convívio social e às atividades acadêmicas o melhor possível.  Quanto antes o Autismo for diagnosticado melhor, pois o transtorno não atinge apenas a saúde do indivíduo, mas também de seus cuidadores, que, em muitos casos, acabam se sentindo incapazes de encararem a situação.