Trigo entra na fase de floração no RS

O clima dos últimos períodos, com elevação das temperaturas e predomínio de sol no Rio Grande do Sul, favorece o desenvolvimento do trigo, que está com 2% das lavouras em floração e 98%, em germinação e desenvolvimento vegetativo. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (06/08), em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) nas regiões de Pelotas, Frederico Westphalen e Santa Rosa, as lavouras de trigo estão em desenvolvimento vegetativo. Na de Pelotas, há áreas com ciclo atrasado que têm se ressentido com o efeito dos dias frios que vêm ocorrendo, favorecidas pelo aumento gradual da temperatura. Em geral, os cultivos se apresentam bem implantados e com bom estande de plantas.

Na região da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, o ciclo da canola avança com plantas já entrando em maturação, mas a fase predominante é a floração (68%). As geadas ocorridas em julho, associadas à queda de granizo em algumas áreas, provocaram danos nas lavouras em floração e início da formação da síliqua, o que fez reduzir a expectativa da produtividade média para 1.567 quilos por hectare. Em geral, os cultivos se apresentam com bom estado e bom estande de plantas, e o florescimento proporciona uma linda paisagem.

Nas regiões de Santa Maria, Ijuí e Frederico Westphalen, a predominância de dias ensolarados favoreceu o desenvolvimento da aveia branca. Na de Santa Maria, 18% das lavouras já chegaram na floração. Na de Ijuí, os cultivos apresentam plantas bem desenvolvidas, evoluindo para o estágio reprodutivo. Já na região de Frederico Westphalen, 80% das lavouras se encontram em enchimento de grãos e em bom estado, com estimativa de produtividade de 2.800 quilos por hectare.

Na cevada, nas regionais de Ijuí, Erechim e Frederico Westphalen, predomina a fase de desenvolvimento vegetativo. Na de Ijuí, há preocupação dos produtores com chuvas no período de maturação, pois frustrações em anos anteriores – resultantes do excesso de precipitações – não possibilitaram atingir o padrão de qualidade estipulado pela indústria cervejeira. Na região de Erechim, as lavouras estão sendo monitoradas para realização de tratamentos fúngicos. Na regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, 50% das áreas se encontram em fase de emergência e desenvolvimento vegetativo, 20% em floração e 30% em enchimento de grãos. O desenvolvimento da cultura é bom, e a produtividade esperada é de 3.600 quilos por hectare.

CULTURAS DE VERÃO
Soja – Os produtores seguem planejando as atividades da próxima safra. Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Bagé, o momento é de planejar e adquirir insumos. Em geral, os custos de aquisição estão semelhantes aos da safra passada, situação que permite estimar boa rentabilidade, já que os preços da soja estão mais elevados. Os preços tiveram nova elevação em relação à semana passada: a saca de 60 quilos foi cotada na média em R$ 106,00.

Milho – Produtores intensificam o planejamento das atividades e a busca de financiamento para a safra seguinte. Na região da Emater/RS-Ascar de Ijuí, realizam atividades de preparo com rolagem e dessecação das plantas de cobertura, preparando para implantação da cultura. Os agricultores se informam sobre o comportamento do tempo em agosto, principalmente sobre temperatura e possibilidade de formação de geadas, a fim de definir o melhor momento de semeadura. Os preços vêm sendo cotados entre R$ 42,00 e R$ 45,00/sc. de 60 quilos. Com os preços elevados da soja e a expectativa de manutenção da cotação para a próxima safra, a área de milho para essa safra deverá ser menor, em virtude de os produtores optarem pelo cultivo da oleaginosa. O preço médio se encontra estável, a R$ 43,50/sc. de 60 quilos.

PASTAGENS E CRIAÇÕES
O clima ensolarado da semana favoreceu as pastagens anuais de inverno em todas as regiões do Estado, propiciando excelente taxa de crescimento e oferta de forragem aos animais. A diminuição do excesso de umidade nos solos e as boas condições de luminosidade colaboraram para o rebrote das pastagens cultivadas de inverno. Na regional de Porto Alegre, as pastagens de inverno estão em pleno pastejo e desenvolvimento vegetativo; no entanto, seu potencial produtivo não vem sendo satisfatório.

Ovinocultura – De modo geral, os ovinos se encontram em boas condições nutricionais, principalmente os manejados em pastagens de inverno. Com a maior oferta de pastagens cultivadas de aveia e azevém, melhora o escore corporal do rebanho. Nos campos nativos, continua baixa a oferta de biomassa. Na regional de Bagé, rebanhos mantidos em campo nativo apresentam redução de peso.

É bom o estado sanitário dos ovinos. Os produtores monitoram a infestação de verminose, avaliando a condição sanitária, especialmente das fêmeas gestantes. No final da gestação, é importante a imunização contra clostridioses. Além disso, o baixo volume de chuvas registrado durante o mês de julho também refletiu em melhores condições de piso e consequentemente baixa incidência de problemas de casco.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar
Jornalista Adriane Bertoglio Rodrigues
[email protected]
(51) 99918-6934
www.emater.tche.br

Instagram: @EmaterRS

Fonte: EMATER/RS

Publicidade