Representantes dos municípios missioneiros participaram do 7º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial

Representantes dos municípios missioneiros participaram do 7º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial

14 de dezembro de 2020 Off Por admin

O Presidente da AMM, Prefeito de Dezesseis de Novembro Ademir Gonzatto, acompanhado do Diretor do Departamento de Turismo da Funmissões, Prefeito de Santo Antônio das Missões Puranci Barcelos dos Santos, representaram a Região das Missões no 7º Encontro Brasileiro de Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial, realizado em Salvador/BA, nos dias 10 a 12 de dezembro. Com o apoio da Confederação Nacional de Municípios (CNM), o evento aconteceu de forma híbrida, ou seja, ao mesmo tempo presencial – obedecendo todos os protocolos exigidos devido a pandemia do coronavírus (Covid-19) – e on-line.

Na abertura, a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Larissa Peixoto, ressaltou a importância de eventos como este para as localidades que são patrimônios turísticos e culturais. “Patrimônio é desenvolvimento, distribuição de renda e nós estamos aqui para reforçar este compromisso com as cidades históricas turísticas e patrimônio mundial, desenvolvendo nossos Estados e Municípios. É necessário que o patrimônio seja motivo de orgulho e que o cidadão se aproprie cada vez mais do nosso patrimônio e das nossas histórias, pois esses espaços contam a história e precisam ser cada vez mais difundidos”, completa.

Este ano o 7º Encontro teve como tema Turismo, patrimônio e sustentabilidade: Caminhos para o futuro. Durante sua fala, a coordenadora de Cultura da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, Isabel de Paula, lembrou a importância da preservação dos sítios de patrimônio mundial. “O grande ativo cultural, a grande riqueza atrativa para o turismo nos sítios do patrimônio mundial são exatamente as características originais que deram o título a esses lugares. Então, é preciso que se preserve essas as características originais e o sítio não perca a condição de patrimônio da humanidade”, lembra.

Impacto do setor turístico

A pandemia da Covid-19 trouxe uma outra realidade para o setor turístico nacional e mundial, já que com o isolamento social, as pessoas deixaram de viajar e conhecer novos destinos turísticos. Agora, segundo o diretor técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Nacional), Bruno Quick, o momento é de pensar na retomada. “As cidades com património mundial são parte das que têm maior visibilidade, maior potencial e são as mais organizadas para puxar a retomada do turismo com todos os cuidados de segurança sanitária. E ao fazer isso, nessa visibilidade privilegiada que temos, mostrar o caminho de como trabalhar com profissionalismo, planejamento, estratégia e turismo”, reforça. Para tanto, o diretor do Sebrae Nacional lembra que o momento é de unir forças entre setor público, com sociedade privada e governo para que haja mudança no patamar de atuação junto ao setor turístico.

Boas Práticas

Durante os dias de evento, os participantes puderam ouvir boas práticas implementadas em diversas localidades no setor e em cidades de patrimônio turístico.

A troca dessas experiências foi comemorada pelo secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Pablo Barrozo. “O tanto que é importante nos reunirmos e conhecer as boas práticas dos Municípios. Precisamos trocar boas experiências e nos unir para sensibilizar os dirigentes. Não precisa inventar a roda, precisamos fazer as melhores práticas da forma mais acelerada possível e unidos. Quando estamos unidos, somos uma voz só, saímos da inércia e começamos a fazer entregas”, finaliza.

O 7º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial – Turismo, Patrimônio e Sustentabilidade: Caminhos para o Futuro é promovido pela Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Mundial (OCBPM) e pela prefeitura de Salvador, com o apoio institucional da Confederação Nacional de Municípios (CNM), da União dos Municípios da Bahia (UPB) e patrocínio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Trabalhar a governança do turismo nas cidades brasileiras reconhecidas como Patrimônio Mundial, promover a gestão sustentável e a utilização do patrimônio como atrativo de riquezas e de desenvolvimento. Com esse objetivo, os gestores missioneiros participaram do 7º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial.

Durante o evento, os representantes da Rota Missões, Prefeito Ademir Gonzatto, Presidente da AMM e  Prefeito Puranci Barcelos, Diretor do Detur, manifestaram-se destacando os avanços do turismo na região das Missões e os esforços empregados pela Funmissões para integrar os setores público e privado da região e as rotas turísticas, com o objetivo de alavancar o desenvolvimento de projetos que estão movimentando o turismo e possibilitando ações compartilhadas neste setor que tem grande potencialidade para o crescimento econômico dos municípios envolvidos.

Alternativa

O turismo é uma bandeira defendida pela CNM no período pós-pandemia para a recuperação da economia. Entretanto, para que as ações sejam eficazes, existe a necessidade de compreender a dinâmica das localidades, construir estratégias de governança adequadas, envolver a comunidade e a iniciativa privada e divulgar os destinos de forma criativa e diferenciada. Escolhida para a realização do evento, a cidade de Salvador teve seu centro histórico reconhecido como Patrimônio da Mundial pela Unesco em 1995. A capital baiana tem conservado numerosos edifícios renascentistas de qualidade excepcional e se destaca por suas iniciativas exitosas na captação de investimentos e priorização de ações de recuperação e utilização do Patrimônio como vetor de desenvolvimento para o Turismo.
As cidades brasileiras detentoras de patrimônios culturais e naturais, repletas de tradições pungentes e de natureza exuberante, revelam a construção de uma nação plural. Também são espaços privilegiados onde é possível vivenciar toda a riqueza do Brasil. Essas características atraem e acolhem visitantes de todo o país e do exterior. “O turismo desempenha papel de destaque na dinamização econômica de uma localidade e do patrimônio tanto natural quanto cultural, fundamentais nessa construção. Os Municípios com esse perfil têm mais possibilidades de geração de riquezas, trabalho e renda a partir da utilização, de forma ordenada, dos seus atrativos”, considera a turismóloga Marta Feitosa, responsável pela área técnica de Turismo da CNM.

Segundo Mário Ribas do Nascimento, Presidente da OCPM, o encontro teve por objetivo trabalhar a governança do turismo nas cidades Patrimônio Mundial brasileiras de forma sustentável, bem como promover a utilização do patrimônio como atrativo de riquezas, desenvolvimento e seu aproveitamento pelo turismo, especialmente no momento pós pandemia. Para tanto, serão abordados três eixos temáticos: Patrimônio, Turismo e Sustentabilidade. Além disso, busca-se avançar na Política Nacional de Gestão Turística do Patrimônio Mundial, formalizada por meio do Decreto 9.763, que dispôs sobre a Política Nacional de Turismo para desenvolver, ordenar e promover os segmentos turísticos relacionados ao Patrimônio Mundial Cultural e Natural do Brasil. As cidades detentoras de patrimônios culturais e naturais brasileiras, repletas de tradições e belezas naturais, revelam a construção de uma nação plural, e também são espaços privilegiados, onde se é possível vivenciar e experimentar toda a riqueza do Brasil. Por isso mesmo, atraiam e acolhiam visitantes de todos os pontos do país e do exterior. No entanto, em decorrência da pandemia da Covid-19, cessaram os investimentos e o fluxo turístico. Nesse sentido e de forma inovadora realizamos o evento de duas formas: virtual e presencialmente. A participação de prefeitos, prefeitas, secretários e secretárias municipais, vereadores, vereadoras e demais agentes municipais, presencial ou virtualmente, é essencial na construção de propostas que contribuam para o fortalecimento da capacidade local, do poder de cooperação e do grande potencial para a geração de riquezas, trabalho e renda.

 

Publicado em 14/12/2020
Por Izabel Cristina Ribas de Freitas

Fonte:Associação dos Municípios das Missões