Comunidade do Noroeste debate alternativas para melhorar o trânsito

Ao abordar a importância da participação efetiva de toda a comunidade no desenvolvimento de soluções eficazes para chegar a mais segurança no trânsito, o presidente do Conselho Estadual de Trânsito, Luiz Noé, deu início à audiência pública Qual é o trânsito que você quer? nesta quinta-feira (26), em Santo Ângelo. Noé ressaltou que praticamente todos os acidentes são evitáveis, e que é fundamental esse trabalho de construção conjunta para salvar vidas.

Os municípios de Cruz Alta, São Luiz Gonzaga, Santa Rosa, São Borja, Itaqui e Ijuí integram o encontro que é o primeiro de uma série que coletará as opiniões das comunidades das diferentes outras regiões do estado até o início de julho.

O CetranRS coordena no estado a pesquisa, que pode ser respondida também pelo link https://sites.google.com/view/pnatrans/. Trata-se do cumprimento da lei federal 13.614/18, que institui o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), cuja meta é reduzir pelo menos à metade, em dez anos, o índice de mortes no trânsito em relação a 2018.

O evento contou com a presença do prefeito Jacques Barbosa, de Santo Ângelo. Também compuseram a mesa representantes do Ministério Público do Estado, Polícia Rodoviária Federal, Comando Rodoviário da Brigada Militar, Famurs, chefia de Polícia e ONG Zero Acidente.

O DetranRS esteve representado pelo diretor administrativo e financeiro Rodrigo Chies e pela chefe da Divisão de Fiscalização, Ana Jodelis, da Diretoria Institucional. Chies acredita que as dificuldades enfrentadas pelo Estado não podem impedir a busca de soluções para salvar vidas: “Uma ideia entre muitas é a parceria com a Secretaria da Educação, para que nossos materiais educativos atinjam todas as escolas. Outra é o incremento da fiscalização, com a Balada Segura.”

A autarquia levou ao evento dados estatísticos da acidentalidade e do trânsito em geral na região, como a evolução da frota e do número de condutores, o mapa da acidentalidade fatal, os municípios com mais mortos no trânsito, os acidentes analisados por tipo de via, turno e dia da semana e o perfil das vítimas. A educação para o trânsito esteve presente com uma palestra da pedagoga Adriana Reston, da Escola Pública de Trânsito da Autarquia. A finalidade é orientar municípios, ONGs e outros interessados em disseminar a segurança no trânsito mudando o comportamento.

Em agosto, o CetranRS encaminha todos as sugestões coletadas ao Conselho Nacional de Trânsito, que estabelece as metas para o período setembro 2018 a setembro 2019. Esse documento tem sua divulgação prevista para a Semana Nacional de Trânsito, entre 18 e 25 de setembro.

Texto: Ascom DetranRS
Edição: Léa Aragón/ Secom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *