Secretário de saúde falou em audiência pública

Na tarde da última quarta-feira, dia 14, junto a Câmara de Vereadores, aconteceu Audiência Pública, para deliberar e informar sobre a situação dos partos no município de Giruá.

Conforme explanou o Secretário Fernando Massafra Cavalheiro, tal situação é inevitável, pelo menos para o momento atual, tendo em vista de que o município é obrigado a cumprir com a Regionalização das portarias do Ministério da Saúde, através da qual, o SUS não repassará mais recursos a municípios com demanda abaixo de duzentos partos por mês.

Com a ausência dos serviços junto ao Hospital São José, o município passa a firmar convenio com o Hospital Vida e Saúde do município de Santa Rosa, o qual conta com toda a infraestrutura física e de Recursos Humanos, para acolher e dar todo o suporte necessário aos nascimentos que ocorrerão na instituição.

Como forma de contra-partida, Giruá repassará um valor aproximado de R$ 22.500,00 mensal para auxiliar com as despesas necessárias para o atendimento da gestante, incluindo serviços médicos e serviços de internações. Tais serviços se prestados na integra em Giruá, custariam aos cofres públicos, mais de R$ 100.000,00 mensais, ou seja, chegariam ao valor de  R$ 1,3 milhão por ano. Em resumo, esta ação evita que se extraia do caixa da prefeitura, aproximadamente 1 milhão de reais por ano, os quais poderão ser utilizados no conjunto de atendimento e serviços da saúde, revertidos em consultas, exames, cirurgias, distribuição gratuita de medicamentos, entre outros.

Ao ser questionado se de alguma forma se tentou evitar esta migração dos serviços de parto para outro município, Cavalheiro expressou-se dizendo que várias reuniões e encontros foram mantidos nas mais diversas esferas públicas, porém, para o momento é inevitável, pois se o município de Giruá de fato quiser manter o serviço junto ao HSJ, este deveria agregar uma equipe composta pelo mínimo por quatro obstetras, quatro anestesistas e dois pediatras, o que para o momento se torna financeiramente inviável.

Para fins de manter toda tranqüilidade das gestantes, estiveram presentes integrantes da direção do Vida e Saúde, os quais falaram sobre a forma humanitária que os serviços são oferecidos, com ótima estrutura de salas pré e pós parto, e estruturada maternidade. O Hospital também possui serviços de UTI tanto para a mãe quanto para o recém nascido, caso necessitar. E, além disto, a Secretaria Municipal de Saúde de Giruá fornecerá todo suporte para o deslocamento e atendimento até o hospital. Além do mais, Fernando destacou a importância de prevenir a morte de Recém Nascido, apresentando dados dos três últimos anos, onde em 2014 tivemos 04 (quatro) mortes de prematuros, 2015 tivemos 04 (quatro) e 2016 tivemos 06 (seis) mortes pelo mesmo motivo. Sendo que neste ano de 2017 não ocorreu nenhuma morte.

Neste sentido, o secretário foi enfático em mencionar que o SUS está em fase de reestruturação, e que através dos números e ocorrências apresentadas, a Administração está convicta de que para uma boa gestão, esta é a melhor solução para proteger a boa saúde dos munícipes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *